Categorias
Sem categoria

Nuno Branco

E o Verbo se fez Imagem

Inspirado na tradição monástica, sobre o modo como a figura do monge aprendeu a sintetizar dentro de si aquelas realidades que apareciam antecipadamente divididas (o mundo de Deus, o céu e a terra, a vida espiritual da vida humana, a contemplação da ação) procuro através do desenho testemunhar um processo onde se gera um encontro entre a Palavra e o seu ouvinte. E o desenho ambiciona aparecer como a linguagem menos imprópria ou, talvez, como a mais habilitada para sugerir ou sugestionar aquilo que por vezes a palavra não consegue verbalizar.

Para vencer estes dualismos, várias figuras e metáforas foram utilizadas e encontradas. Umas mais bem conseguidas que outras, a metáfora aparece assim como linguagem paradoxal onde os opostos podem permanecer na sua plenitude. E neste exercício de degustação, refletido num desenho visceralmente em processo, a Palavra e a Imagem tocam, trocam-se e confundem-se formando um conjunto que deseja ser igual e não de submissão. 

Procuro então, como jesuíta habituado a ser homem da palavra e da pregação, ser também artista (lugar da imagem e do desenho), perguntando-me na minha vida como estas barreira poderão, eventualmente, ser atenuadas e vencidas. 

Bibliografia 

– Semiótica: una práctica de lectura y de análisis de los textos bíblicos. Editorial Verbo Divino. Navarra 1988

– A técnica do pensamento. Meditação, retórica e construção de imagens de Mary Carruthers. Editora Unicamp. 2011

– Au-delà de l’image. Une archéologie du visuel au Moyen Âge de Olivier Boulnois. Éditions du Seuil. 2008

– Didascalicon sobre a arte de ler de Hugo de São Vítor. Editora Vozes. 2001

P. Nuno Branco, sj 

Nasceu em Oeiras em 1977. Licenciado em Arquitetura pela FAUTL (Lisboa), entrou na Companhia de Jesus em 2002 e fez o percurso habitual da formação de um jesuíta: estudos de Filosofia (na Faculdade de Filosofia em Braga), Magistério (no Colégio São João de Brito) e estudos de Teologia (na Universidade Pontifícia de Comillas em Madrid), com especialidade em Espiritualidade e Arte (na Faculdade Centre Sèvres e no Instituto Superior de Teologia das Artes em Paris). 

Foi ordenado sacerdote em 2012 e como padre jesuíta tem dedicado o seu trabalho aos centros universitários da Companhia de Jesus em Portugal: no CUPAV em Lisboa (2013-2014), no CUMN em Coimbra (2014-2021) e atualmente trabalha como colaborador no CUPAV, Centro Universitário Padre António Vieira em Lisboa.

A par da sua missão principal, tem procurado através de encontros e retiros, estabelecer pontes entre a Fé e a Espiritualidade. Publicou em dezembro de 2019, pela editora Frente e Verso, o livro “Diário Gráfico: a experiência de Deus na vida diária”.